CAN BUS e Fecho de Vidros

7.18.2019

Durante muitos anos os alarmes eram instalados nos veículos de forma analógica, com corrente da bateria e o movimento dos fechos centrais, sensores volumétricos e luzes de pisca.

Com isso, o fecho de vidros tornou-se na opção de conforto muito procurada e logicamente associada à segurança.

Note que nenhum alarme pode realizar o fecho de vidros. É sempre necessária a existência de um módulo que ficará interligado entre o alarme e o motor dos vidros.

É este módulo que recebe um sinal que o alarme armou e que por sua vez vai dar comando ao motor do fecho dos vidros.

De modo analógico estes alarmes são chamados de PLIP que funcionam com os sinais retirados de certos pontos da instalação elétrica da viatura.

Nota1: Estamos a falar de sinais em voltagem.

 

Com a modernização dos veículos e a forte componente tecnológica, o uso das linhas CAN-BUS é recorrente nos veículos mais recentes.

O CAB-BUS é um protocolo de comunicações composto por duas linhas, CAN-H (CAN Alto) e CAN-L (CAN Baixo) que ligam todos os componentes da rede de comandos do veículo.

Tudo é controlado digitalmente pelo computador central do veículo.

Enquanto um alarme analógico é ativado pela voltagem detetada em partes da cablagem do veículo, o alarme digital funciona pela leitura de diferentes amperagens numa cablagem única.

Nota2: Se quiser saber mais como funcionam as linhas CAN-BUS, clique aqui.

Qualquer equipamento de instalação CAN-BUS para ser certificado, como os alarmes da GT-Alarm são, só podem ler dados e nunca escrever para as Linhas CAN- BUS do veículo.

Com isto, para um alarme disparar a sirene própria e poder fechar vidros, tem que interpretar os comandos que passam pelas linhas computadorizadas do veículo, como o abrir de portas, ligar e desligar a ignição, trancar e destrancar portas, etc...

Por isso, depende de cada modelo de veículo que permita ou não, identificar as ações do veículo e com que facilidade “deixam” interpretar esses comandos, pois sem poder escrever nas linhas, o fecho de vidros é mais difícil de operar digitalmente por acessórios externos aos originais.

Em resumo, para fechar vidros, seria necessário escrever ordens na linha CAN-BUS e isso não é facilmente conseguido.

Por opção de negócio, a GT Alarm não faz levantamentos técnicos para solução de vidros. Já os imobilizadores digitais da marca IGLA, que também representamos, fornece digitalmente essa solução para alguns dos veículos mais recentes no mercado. Mas note que nem todos os veículos o permite.